Métodos contraceptivos

Efeitos colaterais do anticoncepcional: positivos e negativos

22 de julho de 2020 | Por: Redatora E aí, rolou?

Os métodos contraceptivos possibilitaram uma grande liberdade para as mulheres, contudo o tratamento com anticoncepcional pode ter alguns efeitos colaterais. Mas esses efeitos colaterais não te colocam necessariamente em risco, afinal, cada corpo é único e cada tipo de anticoncepcional age de uma forma diferente.

Mesmo diante da imprevisibilidade do nosso corpo, é natural que os efeitos colaterais do anticoncepcional possam gerar desconfortos em algumas pessoas. Pensando nisso, nas linhas a seguir, confira como esse tipo de medicação afeta nosso organismo e nossa qualidade de vida.

Quais são os efeitos colaterais mais comuns do anticoncepcional?

Os efeitos colaterais mais comuns do anticoncepcional são:

Inchaço

Muitas pessoas consideram que o anticoncepcional é responsável por um ganho de peso, contudo, o inchaço percebido não representa um acúmulo de gordura, mas sim uma retenção de líquido no organismo, principalmente na região dos seios, quadris e das coxas. Por conta disso, o peso corporal pode sofrer variação. 

Caso você perceba essa mudança, consulte seu médico para ajustar a dosagem hormonal.

Dor de cabeça e náuseas

Os hormônios presentes nos anticoncepcionais podem fazer com que você sinta dor de cabeça e náuseas, mas geralmente esses sintomas melhoram com o tempo. Tomar a pílula antes de dormir ou junto de alguma refeição pode auxiliar nesse processo. Caso os sintomas persistam após o período de adaptação, procure seu ou sua médica.

Redução de acne

O tratamento com anticoncepcional é utilizado para auxiliar na redução do aparecimento de acnes, afinal, o medicamento pode reduzir a oleosidade da pele. Novamente, converse com um profissional da saúde sobre isso antes de tomar qualquer medicamento!

Alterações de humor

Embora aconteça com menos frequência, algumas pessoas que tomam pílulas com alta concentração de hormônios podem sofrer alterações de humor. Isso ocorre pois a alta dosagem hormonal reduz a produção da serotonina — neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Nessas situações, outros métodos contraceptivos podem ser indicados pelo médico ou médica, como o DIU.

Aumento da sensibilidade mamária

O uso de anticoncepcionais pode provocar o aumento da sensibilidade mamária, o que geralmente passa após algumas semanas do início do tratamento. Para aliviar essa sensibilidade, recomenda-se diminuir a ingestão de sal e cafeína, além de utilizar um sutiã de alta sustentação. 

Contudo, é preciso estar atenta a algumas alterações na mama, como a presença de nódulos. Por isso, ao notar que algo está diferente, sentir dor intensa na mama ou sensibilidade persistente, procure imediatamente um profissional da área. 

Diminuição da libido

O anticoncepcional pode afetar o desejo sexual. Isso ocorre pois o ciclo menstrual conta com oscilações da libido, ou seja, em alguns períodos ela está mais alta e, em outros, mais baixa. Porém, quando a mulher toma a pílula, seu ciclo natural é alterado, podendo causar a diminuição da libido. Ao perceber esse sintoma, procure um ginecologista para que suas doses do anticoncepcional sejam reajustadas.

Por que anticoncepcionais têm efeitos colaterais?

 Todo medicamento pode causar efeitos colaterais e reações adversas e com os anticoncepcionais não é diferente. Visto que esse método provoca uma mudança hormonal no corpo da mulher, é natural que sejam percebidos alguns efeitos colaterais. Dentre as alterações possíveis, podemos citar as de nível imunológico, nutricional, vascular, ocular, gastrointestinal e renal, por exemplo.

O anticoncepcional faz mal?

O anticoncepcional, assim como outras formas de controle de natalidade envolvendo hormônios, pode aumentar o risco de contrair certos problemas de saúde.Tendo isso em vista, o anticoncepcional pode fazer mal. De acordo com a pesquisa da Revista Eletrônica Atualiza Saúde, os possíveis efeitos colaterais mais graves em decorrência do tratamento com anticoncepcional ocorrem em:

Mulheres com predisposição a doenças cardiovasculares: segundo o estudo, esse grupo tem apresentado um risco elevado para trombose arterial. Isso está associado diretamente ao estrogênio presente na composição dos anticoncepcionais; 

Mulheres hipertensas, fumantes ou com idade superior a 35 anos: de acordo com a pesquisa, essas mulheres estão mais propensas a ter um acidente vascular encefálico (AVE) isquêmico e hemorrágico. O estudo em questão utilizou dados recolhidos na Europa e em países desenvolvidos para embasar a constatação: cerca de 13% dos casos de AVE em mulheres com idade entre 20 e 44 anos estão associados ao uso desse tipo de medicamento. No entanto, apontou-se que o risco de AVE é menor em pacientes que utilizam dosagens mais baixas de estrogênio. 

Isso não significa que o uso do anticoncepcional não pode ser seguro. Aí entra, novamente, a importância de ter um profissional ginecologista fazendo todo o acompanhamento. 

Efeitos colaterais negativos do anticoncepcional

Além dos efeitos adversos comuns já citados (náuseas; dor de cabeça; diminuição da libido; alterações de humor e inchaço), tomar anticoncepcional pode ter outros efeitos, como:

  • Comprometimento dos efeitos de antibióticos;
  • Ocorrência de sangramentos irregulares;
  • Risco elevado para trombose;
  • Maior risco de câncer de mama;
  • Maior risco de hipertensão arterial;
  • Maior risco de doenças hepáticas;
  • Possibilidade de contrair infecções sexualmente transmissíveis (IST’s);
  • Interferência na produção do leite materno.
É importante ressaltar que existem diversos tipos de anticoncepcionais e que, portanto, as indicações, as contraindicações e os efeitos adversos variam de acordo com cada um

Por exemplo, os anticoncepcionais orais de progestogênio, que não contêm estrogênio, não interferem na produção do leite materno, mas oferecem uma proteção menor contra a gravidez, sendo indicados para pessoas que amamentam e/ou possuem um risco elevado para trombose.

Outro exemplo são os anticoncepcionais com uma dosagem mais baixa de estrogênio, que não estão relacionados a um maior risco de câncer de mama, porém não são a melhor opção para quem que já teve a doença.

Por isso, é importante conhecer cada tipo de anticoncepcional e se consultar com um médico ginecologista antes de começar a tomar a pílula, afinal, apenas um especialista poderá recomendar o melhor medicamento para você.

Efeitos adversos positivos do anticoncepcional

Os benefícios do anticoncepcional incluem:

  • Facilidade de acesso e baixo custo;
  • Alta eficácia contra gravidez;
  • Regulação do ciclo menstrual;
  • Redução da acne;
  • Redução no risco de câncer de ovário e de endométrio;
  • Diminuição do fluxo menstrual;
  • Redução das cólicas menstruais;
  • Auxílio no tratamento da endometriose.

Dúvidas frequentes 

Diante dos diversos tipos de anticoncepcionais existentes e das diferentes características que englobam cada corpo, muitas pessoas carregam incertezas em relação a esse tipo de medicamento. A seguir, confira as respostas para as dúvidas mais frequentes sobre anticoncepcionais.

Anticoncepcional engorda? 

Diferentemente do que muitas pessoas acreditam, o anticoncepcional não é responsável pelo ganho de peso diretamente. No entanto, por reter líquidos, é comum que as mulheres percebam um inchaço, principalmente na região dos seios, quadris e coxas. Levando isso em conta, é possível ter um aumento do peso corporal, mas o medicamento não está diretamente associado ao ganho de peso.

Anticoncepcional muda o corpo?

Por fazer com que haja uma retenção de líquidos no organismo, o anticoncepcional pode gerar inchaço e, consequentemente, pode haver um ganho de gordura sutil na região dos seios, dos quadris e das coxas. Dessa forma, não é possível dizer que o anticoncepcional muda drasticamente o corpo, mas pode fazer com que pequenas alterações sejam percebidas.

Anticoncepcional causa enjoo? 

O anticoncepcional pode causar enjoo. É possível que isso aconteça pois a dosagem hormonal presente na pílula causa alterações no corpo da mulher, podendo fazer com que esta sinta efeitos colaterais como dor de cabeça e enjoos. Esses sintomas devem desaparecer com a adaptação do corpo ao medicamento. 

Como diminuir os enjoos causados por anticoncepcional? 

Para diminuir os enjoos causados por anticoncepcional, é recomendado tomar a pílula antes de dormir ou junto de alguma refeição. Além disso, estabelecer um horário para tomar a pílula todos os dias, sem esquecer, pode ajudar a não sentir enjoo e garante a eficácia do medicamento.

Anticoncepcional é seguro? 

Tomando a pílula de maneira correta, as chances de não engravidar são altas, por isso, o anticoncepcional é considerado seguro para os especialistas — seu índice de eficácia é de 98%. Esse número alto é decorrente da sua ação de bloqueio da ovulação, resultando apenas em períodos inférteis. Além disso, o anticoncepcional age no endométrio e aumenta o muco endocervical, evitando que algum óvulo seja fecundado.

É importante ressaltar novamente você deve procurar um médico ginecologista antes de optar por qualquer método contraceptivo. Afinal, existem diversos tipos de medicamentos e apenas um profissional da área poderá avaliar a paciente de forma individualizada e indicar qual a melhor opção para o seu quadro.

Referências:

ALMEIDA, A.P. F.; ASSIS, M. M. | Efeitos colaterais e alterações fisiológicas relacionadas ao uso contínuo de anticoncepcionais. Rev. Eletrôn. Atualiza Saúde | Salvador, v. 5, n. 5, p. 85-93, jan./jun. 2017

Lupião AC, Okazaki ELFJ. Métodos anticoncepcionais: revisão. Rev Enferm UNISA 2011; 12(2): 136-41.

Gostou? Compartilhe!

Gostou? Compartilhe!

Por: Redatora E aí, rolou?


Deixe seu comentário