Início » Seu corpo e sua saúde » O que é mindfulness?

Corpo Feminino

O que é mindfulness?

7 de dezembro de 2020 | Por: Redatora E aí, rolou?

Se existisse uma forma de aumentar a qualidade de vida, prevenir doenças e minimizar sintomas de depressão, estresse e ansiedade, você gostaria de saber? Então, caiu no texto certo, porque vamos mostrar o que é mindfulness, como pode ser aplicado no dia a dia e quais são as vantagens de aderir a ele.

Mindfulness, termo que significa “atenção plena”, existe há séculos e em diversas culturas, como no budismo e na filosofia. Essa técnica tem como objetivo fazer você se conectar consigo mesmo, aprimorando questões da vida pessoal e profissional.

Por meio dessa prática, é possível melhorar a falta de concentração, o cansaço, as dificuldades para se relacionar e muito mais. Para alcançar esses benefícios, você precisa entender exatamente o que é mindfulness, então acompanhe a leitura!

Como surgiu e o que é mindfulness?

O mindfulness é praticado na filosofia budista e em outras formas de filosofia humana há cerca de 3.000 anos. No entanto, apenas há quatro décadas é que ele passou a ser usado também na medicina e na psicologia.

Em 1979, o médico Jon Kabat-Zinn passou a implementar o mindfulness como prática terapêutica, criando programas de redução de estresse. Segundo ele, o mindfulness é um método de praticar a atenção plena, para que a pessoa consiga se concentrar apenas no aqui e no agora.

Afinal, no dia a dia, é comum que a gente faça diversas tarefas automaticamente, sem pensar muito sobre elas. Por isso, nem sempre conseguimos lembrar o que estávamos fazendo nem quando.

De acordo com o mindfulness, caso a gente se acostume com esse ritmo de vida, não é possível dar a atenção necessária às questões muito importantes que afetam a nossa qualidade de vida e as nossas relações uns com os outros.

Então, no mindfulness, a concentração deve estar no momento atual, não em memórias do passado ou pensamentos relacionados ao futuro. Quem adota essa prática precisa estar muito atento e se esforçar ao máximo para focar apenas no presente.

Para que isso aconteça, é necessário aceitar os pensamentos e os sentimentos do modo como eles aparecem, sem classificá-los em bons ou ruins. Assim, você consegue aceitar todas as sensações e não fugir delas. 

Certamente, você já tentou evitar sentimentos, situações e pensamentos que poderiam causar tristeza, vergonha, insegurança, né? Fez isso porque pensou que não aguentaria lidar com eles.

Essa tentativa de não lidar com certas coisas da nossa vida aparece porque elas foram avaliadas por nós mesmos como negativas. Assim, a curto prazo, podemos nos sentir bem.

Por outro lado, ao tentar evitar sensações negativas, não lidamos com o que, de fato, está acontecendo na nossa vida. Além disso, quanto mais tentamos fugir desses sentimentos, mais eles vão tentar aparecer. Dessa forma, não vamos aprender a lidar de frente com eles.

Segundo o mindfulness, se nós passamos muito tempo no piloto automático, não conseguimos viver a vida de modo flexível. Por isso, ficamos muito mais rígidos ao lidar com eventuais imprevistos, que fazem parte da vida de qualquer ser humano. 

Logo, para entender o que é mindfulness, você precisa ter em mente que essa prática tem o objetivo de fazer os seres humanos aprenderem a lidar melhor com eles mesmos. Aprender a lidar com os nossos “monstros” e, assim, ter uma vida melhor.

Como praticar o mindfulness?

Além de entender o que é mindfulness, você deve estar se perguntando como é possível praticá-lo, né?

  Primeiro, o ideal é encontrar algum lugar que seja silencioso e não tenha muitas distrações. Se você estiver em um local barulhento, então pode colocar os plugues de proteção sonora para evitar os ruídos.

Antes de iniciar a prática, use roupas confortáveis e que não façam você sentir calor nem frio, lembrando que, durante o mindfulness, a temperatura do corpo pode cair um pouco.

Além disso, antes da sessão, é importante não estar um jejum muito longo nem ter feito uma refeição cheia.

Para a prática, é necessário que você adote o hábito de marcar um tempo e um local diariamente. A duração da sessão de mindfulness vai variar de acordo com a sua vontade. Pode ser de 5, 10, 15, 20 minutos… Você escolhe.

No início, o mais indicado é que as sessões sejam de 5 a 10 minutos, depois você pode começar a aumentar esse tempo de acordo com a sua necessidade.

Também é importante marcar o horário do término no alarme, porque assim, você não se preocupa em olhar para o relógio enquanta prática o mindfulness.

No momento do mindfulness, você deve deitar ou sentar em uma posição que evite, ao máximo, algum desconforto. No entanto, para os iniciantes, alguns incômodos podem surgir, como nas costas ou nas pernas. Por isso, é necessário encontrar a posição mais confortável possível.

Durante a prática, você pode usar colchonetes, travesseiros ou almofadas. Lembre-se que o seu pescoço precisa estar confortável e em uma posição neutra. Já a coluna precisa estar reta, caso você fique sentada, enquanto os ombros precisam estar alinhados e as mãos ficam encostadas nas pernas. 

Ao longo da sessão, você pode abrir ou fechar os olhos. No entanto, caso eles fiquem abertos, devem estar relaxados, sem focar em algum lugar. 

Lembre-se que, principalmente no início, você precisa ser regular e determinada com o mindfulness, até que ele se torne um hábito diário. Afinal, os melhores benefícios vão vir com o tempo, caso você adote a prática todos os dias. 

Você também pode ter um instrutor de mindfulness ou praticá-lo em grupo. Outra opção é fazer sessões audioguias.

Por último, é importante destacar que as sessões de mindfulness podem resgatar alguns traumas que foram reprimidos, estímulos que provocam estresse, traumas preexistentes. Afinal, você está caminhando ao encontro de si mesma, então é natural que diferentes sensações possam surgir durante a prática.

Quais são os benefícios do mindfulness? 

Agora que você já sabe o que é mindfulness e como praticá-lo, chegou o momento de saber quais são os seus principais benefícios.

Tanto para a saúde física quanto para a mental, essa prática revela muitas vantagens para os seres humanos. Por meio dela, é possível reduzir os riscos de câncer, doenças cardíacas e depressão.

Além disso, o mindfulness consegue combater a insônia, reduzir o estresse e aliviar a dor dos pacientes que sofrem com dores crônicas. Essa prática também promove um melhor gerenciamento das emoções, assim como uma vida mais plena.

Não podemos esquecer que, com o mindfulness, conseguimos ficar concentrados no presente, o que auxilia na tomada de decisões mais conscientes e não naquelas que funcionam pelo piloto automático.

A atenção plena também é capaz de melhorar a memória, assim como o desempenho em diferentes atividades do dia a dia.

Outro benefício dela é a capacidade de desenvolver a própria autoestima e autoaceitação, dois itens fundamentais para que as pessoas tenham uma boa qualidade de vida.

Se você anda ligada no 220V, o mindfulness consegue promover o relaxamento do seu corpo e da sua mente, fazendo você desacelerar e ficar mais tranquila. Dessa forma, ele ajuda no alcance do bem-estar.

Podemos citar, ainda, que o mindfulness contribui para que você consiga entrar em contato com si mesma, o que é fundamental para o autoconhecimento e, assim, para uma vida melhor e mais condizente com o que você realmente deseja.

Então, após saber o que é mindfulness, você está animada para começar a praticá-lo? Siga as nossas dicas e, em breve, desfrutará dos benefícios que a atenção plena é capaz de trazer para a sua vida!

Referências:

Mindfulness Aplicado à Saúde (Mindfulness for Health)

Gostou? Compartilhe!

Gostou? Compartilhe!

Por: Redatora E aí, rolou?


Deixe seu comentário