Início » Ciclo menstrual » Pouco fluxo menstrual é normal? O que pode ser?

Ciclo menstrual

Pouco fluxo menstrual é normal? O que pode ser?

15 de julho de 2020 | Por: Redatora E aí, rolou?

Diversos fatores podem alterar a intensidade do fluxo e sua duração. Geralmente, pouco fluxo menstrual não é um motivo para se preocupar, afinal, diante da imprevisibilidade do nosso corpo, é natural que alguns períodos sejam mais curtos e leves do que outros.

Quando temporária, a diminuição do fluxo menstrual pode estar relacionada a fatores como a intensa prática de atividades físicas e períodos de muito estresse e irritabilidade. Essas condições podem mexer com o organismo, alterando a maneira que ele costuma desempenhar suas funções. 

Contudo, é muito importante prestar atenção na menstruação, pois, quando essa condição se prolonga, pode ser um sinal de que há algum fator está causando alterações hormonais no seu corpo.

Queremos te conhecer um pouco melhor.
Responda estas 3 questões em menos de 30 segundos e ajude a gente a produzir conteúdos ainda melhores para você!

Quer saber mais?

O que é um fluxo menstrual normal? 

Um fluxo considerado ideal por período menstrual, não importando quantos dias dure, corresponde à produção de cerca de 30 a 80 mililitros de sangue, o que equivale a um copinho de café ou a 2 a 4 colheres de sopa. 

Tendo essas medidas do livro “Métodos clínicos: História, exames físicos e laboratoriais” como referência, uma mulher com pouco fluxo menstrual produz, em média, menos de 30 mililitros de sangue por ciclo. Contudo, o ginecologista Marcos Tcherniakovsky afirma que para reconhecer essa diminuição do fluxo são necessárias algumas observações.

“A primeira delas é entender o próprio ciclo menstrual, o que é normal para aquela mulher. Se a menstruação sempre foi com pouco fluxo e segue regular, não será considerado um problema. Na grande maioria das vezes, o fluxo reduzido é decorrente de alguma alteração temporária, como poucos vasos, que reflete em pouca descamação do endométrio”, informa o médico. 

Como cada mulher é única, cada período menstrual acompanha essa individualidade. Seu ciclo pode ser leve, moderado ou intenso e pode parecer um relógio ou ser mais imprevisível, e não tem nada de errado com nenhuma dessas alternativas!

Como reconhecer pouco fluxo menstrual

O fluxo menstrual pode ser definido de três formas: leve, moderado ou intenso. Caso a sua menstruação se enquadre na intensidade leve, provavelmente, você conseguirá ficar pelo menos quatro horas com um absorvente externo com tranquilidade nos dias de fluxo mais intenso. 

Além disso, outra maneira de saber se seu fluxo é leve é por meio da duração do seu ciclo menstrual. Se seu período dura até quatro dias, sendo que nos dois últimos a cor da menstruação já está menos vermelha, apresentando um tom amarronzado, é muito provável que você se encaixe nessa intensidade de fluxo menstrual.

Contudo, nem sempre o pouco fluxo menstrual tem a ver com o fluxo leve. Nesses casos, o pouco fluxo menstrual destoa do que costuma acontecer regularmente, podendo significar que algo está fora de controle, sendo necessário um acompanhamento médico.

Quando o pouco fluxo menstrual pode ser um sinal de alerta?

Geralmente, o pouco fluxo menstrual não representa algum problema de saúde, dispensando preocupações maiores. Porém, como cada quadro é único, algumas situações só podem ser avaliadas por um médico. 

Tendo isso em vista, o sinal de alerta deve ser ligado quando:

Não há ciclo menstrual por mais de três meses;

Há a presença recorrente de sangramentos entre as menstruações;

Dores muito fortes acompanhando o período menstrual.

Vale ressaltar que as mulheres que sempre tiveram pouco fluxo menstrual não devem ficar preocupadas, afinal, cada mulher é única e não há um padrão de menstruação para todas elas, podendo haver variação na intensidade do fluxo e na duração dos períodos menstruais.

Possíveis causas da diminuição do fluxo menstrual

Queremos te conhecer um pouco melhor.
Responda estas 3 questões em menos de 30 segundos e ajude a gente a produzir conteúdos ainda melhores para você!

O doutor Marcos Tcherniakovsky pontua que as causas destas alterações no fluxo menstrual são diversas, como estresse, excesso de exercício físico, entre outras atividades que afetam os hormônios. Nestes casos, o ginecologista ressalta que não há motivo para preocupação.

A seguir, listamos as possíveis causas da diminuição do fluxo menstrual e detalhamos de que forma elas interferem no ciclo feminino!

1. Idade

O ciclo menstrual pode sofrer variações ao longo da vida das mulheres. Na adolescência, por exemplo, os fluxos e os períodos menstruais são mais irregulares. Por outro lado, entre os 20 e 30 anos, o ciclo menstrual é mais regular e estável. Já na fase que antecede a menopausa, os fluxos menstruais costumam ser mais leves e os períodos mais irregulares. Essas ocorrências são resultado de desequilíbrios hormonais provocados em cada faixa etária.

2. Alterações de peso

As alterações de peso podem interferir no seu ciclo menstrual, fazendo com que seu fluxo seja mais leve e o período menstrual seja mais curto. Isso acontece porque o peso e o percentual de gordura corporal têm influência direta na menstruação. Ou seja, ganhar ou perder peso desequilibra os níveis hormonais, trazendo irregularidades para o ciclo menstrual.

3. Estresse

Quando estamos estressados, o equilíbrio hormonal do nosso corpo é afetado, o que pode causar alterações no ciclo menstrual, como fluxos mais leves e períodos mais curtos. Mas calma! A tendência é que o fluxo menstrual se regularize depois das situações de estresse passarem.

4. Atividade física intensa

A atividade física, quando praticada de forma intensa ou excessiva, pode fazer com que haja alterações no ciclo menstrual. Isso ocorre porque as praticantes podem estar com níveis altos de estresse, abaixo do peso, além de estarem gastando muita energia corporal, resultando em alterações hormonais.

5. Anticoncepcional

Uma das razões mais comuns para a diminuição do fluxo menstrual é o uso da pílula anticoncepcional, inclusive alguns médicos indicam que mulheres com fluxo muito intenso tomem esse tipo de medicamento. Por isso, caso você tenha começado a tomar anticoncepcional recentemente, é normal que os seus ciclos menstruais sejam mais leves e curtos.

Quer saber mais sobre pílula anticoncepcional? Saca só: 

6. Condições médicas

Algumas condições médicas interferem na produção hormonal do organismo, como a síndrome do ovário policístico (SOP) e o hipertireoidismo, afetando nosso ciclo menstrual. 

7. Gravidez

Durante a gravidez, a menstruação é interrompida, afinal, o feto está se desenvolvendo no útero. Contudo, algumas mulheres podem apresentar sangramentos leves e corrimentos no início da gestação, os quais podem ser confundidos com menstruação. Por isso, uma diminuição no fluxo menstrual pode significar que um bebê está a caminho.

O que fazer se estou tendo pouco fluxo menstrual? 

Antes de adotar qualquer medida, é importante ressaltar que cada situação é única e particular. Um acompanhamento regular com o médico ginecologista, que irá analisar sua saúde de forma global, é muito válido para afastar a presença de outras doenças que podem afetar o ciclo menstrual.

No entanto, não há motivo para pânico! “Se a alteração no fluxo menstrual for temporária, não há razões para preocupação ou interferência médica”, aponta Marcos Tcherniakovsky. 

Queremos te conhecer um pouco melhor.
Responda estas 3 questões em menos de 30 segundos e ajude a gente a produzir conteúdos ainda melhores para você!

Porém, o ginecologista ressalta que, se além de pouco fluxo menstrual, você notar outros sintomas e o médico indicar alguma patologia, o tratamento deverá ser focado na solução deste problema, que consequentemente pode normalizar a menstruação.

A gente sabe que o corpo feminino carrega muitas imprevisibilidades, e isso não significa algo ruim. Se você notou uma diminuição no seu fluxo menstrual, fique tranquila. Experimentar um período menstrual diferente sem motivo específico pode acontecer, mas é sempre muito importante informar um médico, principalmente quando não se trata de alterações passageiras. Dessa forma, você pode tirar suas dúvidas e cuidar de si mesma!

Gostou? Compartilhe!

Gostou? Compartilhe!

Por: Redatora E aí, rolou?


Deixe seu comentário

Comentários

  • Gracyella Patella

    30 de junho de 2021 | 09:43

    Gostei demais dessa explicação me ajudou muito. Obrigada

    • Redatora E Aí, Rolou?

      8 de julho de 2021 | 11:21

      Obrigado, Gracyella. Continue nos acompanhando aqui e no nosso instagram @eairolou

  • Cassia Pessoa

    23 de agosto de 2020 | 13:36

    Amei Muito interessante ,um assunto muito importante para nós mulheres,tirar dúvidas e descobrir coisas que não sabíamos .

  • Shau

    21 de agosto de 2020 | 16:14

    Apenas queria parabenizar toda equipe deste blog pelo trabalho maravilhoso. Estava olhando o instagram e vi uma ads do blog e vim conferir por curiosidade. A oportunização de assuntos tão relevantes para o universo feminino, saúde íntima, escritos em textos tão bem estruturados e leves de se ler me encantou. O designer do blog é ao mesmo tempo acolhedor, aconchegante e transmite aquela sensação de paz. Desejo toda sorte para a equipe que está desenvolvendo este lindo trabalho.

    • Ótimo Artigo

      7 de dezembro de 2020 | 11:50

      Amei esse artigo. Tenho dúvidas quanto ao meu fluxo menstrual, notei que depois que parei o anticocepcional injetável diminui bastante. Ainda tenho dúvidas, mas irei procurar um ginecologista. Parei a injeção à dois anos e o meu fluxo continua pouquíssimo, chego a usar em casa protetor diário. Só isso o absorvente normal quando saio. Esse artigo me ajudou, mas preciso procurar um médico porque o meu fluxo nunca foi tão pouco. Um abraço para este blog.