Relacionamentos e sentimentos

O que é assédio?

25 de novembro de 2020 | Por: Redatora E aí, rolou?

Você sabe exatamente o que é assédio? Quando falamos sobre esse assunto, as pessoas costumam pensar apenas naquela forma de assédio clássica que acontece entre as mulheres: andar na rua e ouvir assovios ou palavras/frases obscenas. Ainda que isso seja, sim, um assédio, ele não é o único tipo existente. 

Dentro do assédio sexual, existem várias situações que se classificam como violentas. Além disso, em outros âmbitos, isso pode acontecer, dando origem ao assédio moral, verbal, psicológico, entre outros.

Para reconhecer esses casos, o conhecimento se torna uma arma fundamental. Por isso, neste artigo, nós vamos falar melhor sobre esse assunto.

O que é assédio e quais são os seus tipos?

O assédio se caracteriza como abordagens que causam desconforto, humilhação, intimidação ou  perseguição. Ele pode se manifestar em diferentes situações, sendo tanto explícito quanto velado.

Então, caso você não tenha consentido com a abordagem do outro, considerando-a incômoda, isso é assédio. Portanto, é o consentimento que vai separar o assédio de uma relação na qual há intimidade.

Suponha que uma mulher seja chamada de “linda” por um homem. Se estivermos falando de um namorado, amigo ou qualquer outra pessoa que tenha intimidade, isso pode se tratar de um elogio. Mas se um estranho fizer o mesmo enquanto a pessoa caminha na rua, certamente isso provocaria desconforto ou até mesmo medo, né? Pense nisso sempre que desconfiar que está sofrendo um assédio.

Ainda que o assédio sexual seja o mais comentado quando o assunto entra em pauta, existem também outros tipos. Portanto, além de saber o que é assédio, é importante conhecer as suas variadas formas. A seguir, veremos algumas delas.

Assédio moral

No assédio moral, a violência atinge a dignidade da pessoa, fazendo com que ela se sinta humilhada. Isso pode acontecer em diferentes ambientes, porém o mais comum deles é no trabalho.

Nesse caso, o trabalhador passa por alguma conduta abusiva, que pode ser manifestada por gestos, palavras, comportamentos, causando danos psíquicos, afetando a dignidade ou colocando o trabalho em risco.

Existem quatro elementos que caracterizam o assédio moral. Um deles é a conduta repetitiva, ou seja, os ataques acontecem repetidamente e por um período prolongado, fazendo a vítima se sentir rejeitada, humilhada, discriminada ou constrangida.

Acontece também a degradação no ambiente de trabalho, portanto, o dia a dia da vítima dentro do trabalho acaba se tornando insuportável. A agressão psíquica também caracteriza o assédio moral, então a integridade psíquica do trabalhador é diretamente afetada.

Por último, temos a ofensa, que é uma prática bastante maldosa, na qual o chefe chama o funcionário de “burro”, “incompetente”, dentre outras palavras ofensivas.

Portanto, quem pratica o assédio moral deseja desestabilizar a vítima ao ponto de fragilizá-la e prejudicá-la no trabalho.

Por mais que, atualmente, não exista uma lei específica contra o assédio moral no trabalho, o funcionário pode processar o assediador por danos morais.

Assédio verbal

Esse tipo é um dos mais fáceis de serem reconhecidos, pois aparece em situações em que ocorrem xingamentos, vaias, insultos, ameaças, provocações e mais. Ou seja, é uma forma de assédio bem explícita, por isso é facilmente identificada.

O assédio verbal pode acontecer em vários contextos, como na família, relacionamento amoroso, trabalho e até na rua. Portanto, o assediador pode ser tanto um desconhecido quanto uma pessoa próxima.

Por ser enquadrado na Lei da Injúria, o assédio verbal é classificado como um delito. Então, a vítima pode entrar com um processo e receber indenização por danos morais.

Assédio psicológico

Enquanto o assédio verbal é explícito, o assédio psicológico costuma ser mais velado, por isso, nem sempre a vítima consegue classificar os atos como uma forma de assédio. 

Para entender o que é assédio psicológico, saiba que ele é classificado como uma série de atitudes constantes de maltrato psicológico contra uma pessoa. Nesse caso, o agressor tentar provocar sentimentos negativos na vítima, como medo e insegurança.

Além disso, pode fazer a vítima se sentir sobrecarregada e incapaz de realizar tarefas ou suprir as próprias expectativas. Esse tipo de assédio também pode aparecer em forma de ameaças, ridicularização e críticas.

O assédio psicológico é capaz de trazer graves consequências para a vítima, como estresse, depressão e ansiedade.

O que é um relacionamento abusivo? 

Como reconhecer amizades tóxicas e lidar com elas

Assédio sexual

O assédio sexual é classificado como uma ação da ordem sexual que não foi consentida pela vítima. Nesse caso, engloba tanto os comentários quanto os contatos físicos. 

Esse tipo de assédio é considerado um crime, então o agressor pode ser detido por lei. A seguir, veja algumas situações em que o assédio sexual aparece:

  • receber assobios, comentários inapropriados ou obscenos e gestos intimidadores;
  • ser tocada sem permissão, originando a sensação de desconforto;
  • ouvir piadas obscenas e consideradas inapropriadas ao seu respeito;
  • receber olhares constrangedores;
  • sofrer exposição ou reprodução de imagens íntimas suas sem que houvesse a sua permissão;
  • receber convites insistentes para saídas mesmo após você negá-las;
  • sofrer violação da sua intimidade sexual;
  • ouvir pedidos de favores sexuais para ganhar algum tipo de benefício, como uma promoção no trabalho;
  • receber mensagens e ligações com teor sexual por alguém que não tem intimidade com você.

Enfim, o assédio sexual pode surgir de diferentes formas e é importante estar atenta a todas elas. De qualquer forma, é fundamental entender que esse tipo de assédio não aparece apenas em casos de violência.

É necessário lembrar que o assédio sexual também pode acontecer dentro de casa. Ou seja, o marido, namorado ou até mesmo familiares podem tentar forçar algo sexualmente contra a sua vontade e isso também é considerado assédio sexual.

Como se defender do assédio sexual?

Infelizmente, as mulheres sofrem assédio sexual constantemente e em diferentes locais. No transporte público e privado, por exemplo, 97% delas afirmam que já foram assediadas.

Por isso, além de entender o que é assédio sexual, é importante que nós saibamos como nos defender em qualquer situação desse tipo. Saiba que existem uma Central de Atendimento à Mulher, na qual você pode fazer a denúncia pelo número 180.

Já se você estiver em algum local privado ou público, o ideal é acionar um segurança ou policial que esteja por perto. Se o assédio acontecer em um lugar em que não existem testemunhas, como em uma consulta médica, a opção apropriada é fazer uma denúncia na delegacia.

Se você estiver na rua, sofrer assédio sexual e se sentir ameaçada, é importante gritar para que as pessoas por perto saibam o que está acontecendo e, mais tarde, possam ser as suas testemunhas. Além disso, é necessário que você tenha o máximo de informações possíveis sobre o assediador, como as roupas, tamanho e formato do corpo, cicatrizes ou tatuagens.

Caso o assédio sexual esteja acontecendo também de forma virtual, reúna as mensagens, e-mails e dados da ligação para que tudo isso possa ser usado como prova. Se você quiser denunciar o agressor, é importante que isso aconteça em até seis meses.

Se o assédio sexual estiver acontecendo em ambiente escolar ou no trabalho, você também pode acionar a área de Recursos Humanos ou a coordenação da instituição de ensino. 

De qualquer forma, é importante levar em consideração que casos de assédios sexual aparentemente mais leves podem originar ações ainda mais graves, como a agressão e a perseguição.

Portanto, se isso estiver acontecendo com você, converse com pessoas próximas para ganhar uma rede de apoio e lembre-se que você tem o direito de fazer a denúncia. Afinal, o assédio sexual é crime.

Neste artigo, você pôde ver o que é assédio, quais são as suas diferentes formas e como é possível se defender do assédio sexual. A partir de agora, você pode reconhecer mais facilmente essas situações e, assim, saber como agir frente a elas.

Compartilhe esse conteúdo e nos ajude a espalhar a informação e ajudar cada vez mais pessoas a se proteger contra diferentes tipos de assédio! E não deixe de nos seguir nas redes sociais: 

Gostou? Compartilhe!

Gostou? Compartilhe!

Por: Redatora E aí, rolou?


Deixe seu comentário