Como funciona a pílula anticoncepcional oral?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Prático e barato, esse método contraceptivo pode ter até 99% de eficácia. Entenda como funciona a pílula anticoncepcional.

 

Assim como a minissaia e o voto, a pílula anticoncepcional revolucionou a vida das mulheres. Finalmente, passamos a poder escolher não engravidar mesmo mantendo relações sexuais.

 

Porém, para que o primeiro anticoncepcional, o Enovid-10, fosse lançado em 1960, nos Estados Unidos, uma feminista, uma milionária e um cientista precisaram trabalhar na surdina. Afinal, contraceptivos eram proibidos naquele país. 

 

A pesquisa só avançou porque o medicamento supostamente serviria para “aliviar os sintomas desagradáveis da menstruação”.

 

Graças à ousadia daquele trio, a pílula anticoncepcional ganhou o mundo. No Brasil, uma pesquisa do IBGE feita em 2019 constatou que esse é o método contraceptivo preferido de 62% das mulheres, principalmente na faixa dos 15 aos 24 anos.

 

A razão de tanta popularidade é simples. A pílula é um jeito barato, prático e seguro de evitar uma gravidez indesejada: se usada corretamente, tem entre 98% e 99% de eficácia.

 

A seguir, saiba como o anticoncepcional oral age no organismo.

 

Entendendo a ação da pílula anticoncepcional

 

Antes de tudo, vamos entender o mecanismo da pílula anticoncepcional para impedir a gravidez.

 

O medicamento é composto por hormônios que evitam que a mulher ovule, altera o endométrio do útero e o muco do colo do útero.  Assim, quando há ejaculação durante a relação sexual, o espermatozoide tem dificuldade para circular e também não encontra um óvulo para fecundar e iniciar uma gravidez.

 

Tipos de pílula anticoncepcional

 

Existem três tipos diferentes de contraceptivos orais. Quando a pílula combina os hormônios progesterona e estrógeno em quantidades iguais é chamada de monofásica.

 

Por outro lado, quando a progesterona e o estrógeno têm proporções diferentes, a pílula é chamada de multifásica (bifásica ou trifásica). Por fim, existem os contraceptivos que contêm apenas progesterona, conhecidos como minipílulas.

 

Para saber qual é o melhor tipo de pílula anticoncepcional para você é essencial procurar um ginecologista. Ele vai avaliar seu histórico de saúde, estilo de vida e determinar o medicamento mais indicado. Afinal, reações adversas e efeitos colaterais podem aparecer e variam de pessoa para pessoa.

 

O objetivo, no fim das contas, é que seu organismo se adapte ao anticoncepcional escolhido. Se isso não acontecer, avise seu médico para que ele faça as mudanças necessárias.

 

Como as diferentes pílulas agem?

 

Monofásica

 

Bastante popular entre as mulheres, esta pílula anticoncepcional vem em uma cartela com 21 comprimidos ou 22 comprimidos.

 

O uso da pílula monofásica deve acompanhar a menstruação. Ou seja, você deve começar a tomar os comprimidos entre 1º e o 5º dia do início do sangramento. Depois, deve seguir a ingestão até a última pílula.

 

Quando a cartela acabar, faça uma pausa de sete dias (você irá menstruar nesse período). No 8º dia recomece o ciclo.

 

Multifásica

 

A pílula anticoncepcional multifásica tem 24 comprimidos. Se você não usou nenhum outro anticoncepcional hormonal no mês anterior, deve começar a tomar a pílula multifásica no 1º dia da menstruação.

 

Em seguida, siga a cartela e, quando as pílulas acabarem, pare por quatro dias. Nesse período deve ocorrer um sangramento parecido com o da menstruação. No 5º dia você já pode retomar o uso.

 

Minipílula

 

A minipílula é composta por 28 comprimidos. Se você não usou nenhum outro anticoncepcional hormonal no mês anterior, o ideal é começar a tomar a minipílula no 1º dia da menstruação.

 

A diferença é que, ao contrário dos outros métodos, aqui não existe pausa. Ou seja, você deve tomar os 28 comprimidos todos os dias e, quando uma cartela terminar, passar para a próxima.

 

Mesmo se houver sangramento nesse período, mantenha o uso.

 

IMPORTANTE: para que a pílula anticoncepcional faça efeito, qualquer que seja o tipo, é fundamental tomar todos os dias, conforme indicado, e sempre no mesmo horário.

 

Mas e se eu esquecer de tomar a pílula?

 

Com a vida corrida que a gente leva, esquecer de tomar a pílula anticoncepcional é totalmente possível. Portanto, se isso acontecer, não se desespere.

 

Tome assim que lembrar, mesmo que coincida com o horário do comprimido seguinte e você precise tomar dois de uma vez.

 

Se esse atraso na dose for de até 12 horas o efeito da pílula anticoncepcional está garantido. Porém, se o período for superior ou se o esquecimento acontecer mais de uma vez no mês, a eficácia do anticoncepcional pode diminuir.

 

Nesse caso, leia a bula do remédio e reforce a proteção com outro método contraceptivo (camisinha, por exemplo). Se tiver dúvidas, agende uma consulta com o ginecologista.

 

Dicas para incluir a pílula anticoncepcional na sua rotina

 

  •  Agende um lembrete no celular;
  • Deixe a cartela em local visível ou de fácil acesso (como bolsa, necessaire, criado-mudo ou armário do banheiro, por exemplo);
  • Associe o uso da pílula anticoncepcional a um hábito diário, como escovar os dentes ou tomar café da manhã;
  • Escolha horários que facilitem o uso do medicamento, como logo após acordar ou antes de dormir.

 

Nada de se automedicar, hein? O uso da pílula anticoncepcional pode ter efeitos colaterais e precisa ser supervisionado por um ginecologista.

 

Clique aqui e encontre um profissional de sua confiança para tirar dúvidas e receber orientações. 

 

agendar consulta

Logo_Branco
Copyright 2021. Todos direitos reservados.                   Politica de Privacidade

Copyright 2021. Todos direitos reservados.

 

Politica de Privacidade

CONVERSE ONLINE COM UM GINECOLOGISTA

Ficamos felizes pelo seu interesse em consultar com um ginecologista. Esse médico pode tirar todas suas dúvidas sobre contracepção e sexualidade e ajudar você a se conhecer melhor. Em breve, teremos uma plataforma para agendamento gratuito.