Logo_05

Medicamentos que podem cortar o efeito do anticoncepcional

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Você sabia que há alguns medicamentos que podem cortar o efeito do anticoncepcional? Fique atenta para descobrir quais são esses remédios e o que fazer em caso de necessidade de tomá-los.

 

A pílula anticoncepcional é um método prático, seguro e confiável de contracepção. Mas é importante ter a recomendação do ginecologista para a escolha do anticoncepcional mais adequado para seu caso. Além de ser fundamental ter o acompanhamento do especialista para tirar todas suas dúvidas.

 

Como é o caso de esclarecer para você quais os medicamentos que podem cortar o efeito do anticoncepcional e outras ações que também podem reduzir ou cortar seu efeito. Você pode conferir com mais detalhes sobre essas situações clicando aqui.

 

5 tipos de remédios que podem cortar o efeito do anticoncepcional

 

Agora vamos conferir quais são esses medicamentos que podem cortar o efeito do anticoncepcional. Acompanhe!

 

1. Atenção com alguns antibióticos 

 

Apesar de muitas pessoas afirmarem que os antibióticos podem cortar o efeito do anticoncepcional, comprovadamente, isso ocorre com apenas três tipos deste medicamento.

 

Segundo estudos, a rifampicina e a rifabutina, utilizadas para o tratamento da tuberculose, hanseníase e meningite bacteriana, podem cortar o efeito do anticoncepcional. Não somente da pílula anticoncepcional, mas também de outros métodos contraceptivos, como anel vaginal, mini-pílula, DIU hormonal, anticoncepcional injetável, adesivo e implante hormonal.

 

Isso porque esses antibióticos alteram enzimas que são responsáveis pelo metabolismo dos hormônios que estão presentes nesses anticoncepcionais. Dessa forma, há uma alteração na eficácia do contraceptivo, aumentando o risco da mulher engravidar.

 

Consequentemente, é essencial usar outros métodos contraceptivos durante o tempo de uso do antibiótico, e, no mínimo, por mais 7 dias após encerrar o tratamento. 

 

Além desses antibióticos que citamos, há mais alguns que não possuem um consenso sobre seu efeito na redução da eficácia do anticoncepcional. 

 

Como cuidado nunca é em excesso, quem utiliza pílula anticoncepcional precisa ter atenção redobrada se utilizar penicilinas, tetraciclinas, eritromicina, claritromicina, ampicilina, cloranfenicol, itraconazol, fluconazol ou voriconazol.

 

A recomendação é tirar suas dúvidas com um ginecologista ou com o médico que lhe receitar o uso de algum desses medicamentos. Ler a bula do antibiótico e, caso ter relações sexuais no período próximo do tratamento, usar camisinha, são outras boas práticas nesses casos.

 

2. Anticonvulsivantes

 

Há alguns anticonvulsivantes que reduzem significativamente e podem até cortar o efeito do anticoncepcional. Tais como:

 

  • fenitoína
  • fenobarbital
  • carbamazepina
  • oxcarbamazepina
  • primidona
  • topiramato 
  • felbamato.

 

Nesses casos, as mulheres que necessitam utilizar medicamentos para evitar crises convulsivas precisam conversar com seu médico para entender se não há outra opção de tratamento que não corte o efeito do anticoncepcional. 

 

Se isso não for possível, então é preciso conversar com seu ginecologista para encontrar outro contraceptivo adequado para seu caso. Há muitas opções de anticoncepcionais, como você pode ver neste guia de métodos contraceptivos, e temos certeza que você encontrará aquele que mais combina com você.

 

3. Barbitúricos podem cortar o efeito do anticoncepcional

 

Os barbitúricos são medicamentos que têm efeitos sedativos no sistema nervoso central e podem ser utilizados como calmantes, anestésicos ou como anticonvulsivantes. Eles podem reduzir, e muito, o efeito da pílula anticoncepcional.

 

Por isso, a indicação é combinar a pílula anticoncepcional com outro contraceptivo, como a camisinha, ou então procurar por uma opção de método contraceptivo diferente da hormonal, mas sempre com a orientação do seu ginecologista.

 

4. Antifúngicos também podem interferir

 

Alguns antifúngicos podem sim interferir na eficácia da pílula anticoncepcional. É importante tirar suas dúvidas com o médico que te receitou o tratamento, ler a bula do medicamento ou então perguntar para um gineco.

 

O principal para se ter atenção e usar outro método anticoncepcional em conjunto com a pílula é a griseofulvina, antifúngico indicado para o tratamento de micoses de pele e unhas.

 

5. Antirretrovirais

 

Os antirretrovirais são medicamentos utilizados no tratamento do HIV e eles podem cortar o efeito do anticoncepcional. 

 

Como é um tratamento contínuo, é preciso conversar com o médico para encontrar outra opção de contracepção para além da pílula anticoncepcional. Lembramos também que a camisinha deverá ser utilizada em todas relações sexuais!

 

Está na dúvida se um medicamento pode cortar o efeito do anticoncepcional?

 

A regra é clara: se você ficou na dúvida se um novo medicamento que você precisa tomar pode cortar o efeito do anticoncepcional, pergunte para seu médico!

 

Você pode agendar uma consulta com um ginecologista próximo da sua casa e tirar todas suas dúvidas sobre contracepção e quais medicamentos podem cortar o efeito do anticoncepcional.

 

consultar com ginecologista

 

Além disso, usar camisinha nas suas relações sexuais é outra ação que também deve ser um hábito. Considerando que só o preservativo irá proteger você de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Clique aqui também para saber como escolher o anticoncepcional mais indicado para você.

 

Fonte: Tua Saúde; Hilab;

Logo_Branco
Copyright 2021. Todos direitos reservados.                   Politica de Privacidade

Copyright 2021. Todos direitos reservados.

 

Politica de Privacidade

CONVERSA ONLINE
E GRATUITA COM GINECO

Passo a passo para ganhar sua consulta grátis:

1. Clique no botão abaixo para ser direcionada ao site da nossa parceira Amorsaude;
2. Escolha um(a) ginecologista no melhor horário para você;
3. Após clicar no horário, cadastre-se na Amorsaude;
4. Digite o voucher EAIROLOU e confirme o agendamento;

5. Pronto! É só aguardar as instruções de acesso por email e SMS para tirar todas as suas dúvidas com seu gineco!