Seu corpo e sua saúde

Guia do corpo feminino sem frescuras

8 de outubro de 2020 | Por: Redatora E aí, rolou?

Vivemos em uma sociedade patriarcal e machista — as coisas estão mudando, mas ainda falta muito. Muitas sentem vergonha de olhar o próprio corpo e conhecer sua intimidade. Crescemos com a ideia de que o corpo feminino é imoral e que conhecê-lo é pecado. 

Tudo isso não poderia estar mais equivocado. Conhecer o próprio corpo não pode ser, de jeito nenhum, um tabu. Afinal de contas, estamos falando de algo que nos pertence e, entender bem como ele funciona, é muito do que normal – é necessário! 

Esse conhecimento vai te ajudar a entender suas sensações e sentimentos. Para começarmos (antes tarde do que nunca), montamos um guia da anatomia feminina: um guia completo para você conhecer bem o seu corpo de ponta a ponta. Vamos lá?

Quais são as principais diferenças entre o corpo masculino e feminino?

Há algumas diferenças mais marcantes como a presença de seios na mulher, o que não acontece no homem. Vejamos outras:

  • voz mais fina nas mulheres e mais grossa nos homens;
  • presença dos pelos em locais diferentes. Por exemplo, muitos homens têm barba, o que não acontece com as mulheres;
  • estrutura corporal. Os depósitos de gordura acontecem em locais um pouco diferentes entre homens e mulheres. Por exemplo, nós costumamos acumular mais no quadril, enquanto eles acumulam mais no abdômen.

Existem tipos de corpo feminino?

Você já deve ter ouvido falar nos 5 tipos de corpo feminino (ditados, principalmente, pela indústria da moda): o ampulheta, retangular, triangular, triângulo invertido e o oval. Mas, a verdade é que o corpo feminino vai bem além disso.

Estamos em um país de muitas misturas e, assim, as características se combinam e muitas em um único corpo. Na prática, não podemos definir tipos de corpos femininos, pelo menos não dessa maneira. Esse tipo de classificação pode gerar inseguranças sem nem mesmo refletir a realidade. 

O valor de nosso corpo não está na importância que os outros podem enxergar ao olhar para ele, mas no valor que nós mesmas damos quando nos observamos com carinho e respeito, entendendo que cada corpo é único, com seus traços, formatos e singularidades.

O que é puberdade? 

A puberdade é um período da vida que dura cerca de 2 a 4 anos, caracterizado pelas mudanças biológicas no corpo que marcam a passagem de um corpo infantil para um corpo adulto, representam a maturação dos órgãos dos sistemas reprodutivos femininos e masculinos. A puberdade e a adolescência muitas vezes acabam se confundindo, porém não se tratam exatamente da mesma coisa.

Em corpos femininos, a puberdade é marcada pelo desenvolvimento mamário e pela pilosidade genital (crescimento de pelos nos órgãos genitais).

Até que idade o corpo feminino se desenvolve?

Durante a puberdade, a maioria das meninas passam também pela menarca – sua primeira menstruação. Ela geralmente acontece antes dos 15 anos e marca uma desaceleração do surto de crescimento. 

As características de um corpo feminino adulto se desenvolvem, em média, até os 16-17 anos. Essa média pode sofrer alterações de acordo com a idade em que ocorreu a menarca, aspectos genéticos e de vivência da pessoa (alimentação, aspectos regionais, etc). 

Apesar do desenvolvimento até o corpo adulto parar eventualmente, o corpo feminino nunca para de mudar. Corpos femininos passam pelo ciclo menstrual durante toda a vida até a menopausa, que é a interrupção permanente da menstruação e marca o momento em que o corpo não é mais capaz de ter filhos. 

O que acontece no corpo da mulher durante a adolescência?

Determinadas principalmente por questões hereditárias e hormonais, as principais mudanças que se pode perceber no corpo feminino durante a adolescência são: 

  • aumento do tamanho do corpo e de suas proporções: aumento da cabeça em relação ao corpo, desenvolvimento da linha da cintura e alargamento dos quadris, aumento do depósito de gordura em certas regiões do corpo; 
  • maturação dos órgãos sexuais: desenvolvimento dos seios, aparecimento de pelos pubianos, nas axilas, no rosto e membros; 
  • alterações na voz, textura da pele e cabelos; 

Tão importante quanto as mudanças biológicas são as mudanças da imagem do corpo: tantas mudanças acabam fazendo com que pessoas busquem diferentes formas de reorganizar suas identidades neste novo corpo em desenvolvimento. Como temos também a chegada da menstruação neste período, durante a adolescência passamos também pela adaptação ao nosso ciclo menstrual. 

Como funciona o sistema reprodutor feminino?

Podemos dividir o aparelho reprodutor feminino em órgãos internos e externos:

  • externos: a vulva compreende os grandes e pequenos lábios, a parte externa do clitóris e os orifícios do intróito vaginal, da uretra e das glândulas de Bartholin;

As vulvas possuem muitas diferenças em relação a cores, cheiros, tamanho e formato do clitoris e dos pequenos e grandes lábios. Esta variedade é normal e saudável. A sua vulva possui características que só ela tem! 

  • internos: aqui temos ovários, útero, colo do útero, vagina e tubas uterinas.

Esses órgãos, em conjunto com outras ações dos diversos sistemas de nosso corpo, são os responsáveis pela regulação de nosso ciclo menstrual, que prepara nosso corpo para uma possível fecundação, garantindo a reprodução da espécie. 

E como tantas outras coisas presentes no corpo feminino, a nossa genitália também é alvo de um “padrão de beleza” que não representa a maioria das mulheres. É muito importante desconstruir essa ideia, para que todas as mulheres possam reconhecer a beleza que existe em seus corpos e como isso nos torna tão incríveis.

Por que a mulher menstrua?

A menstruação é uma perda vaginal periódica constituída por sangue e endométrio descolado. Ela acontece devido ao declínio dos hormônios progesterona e estrogênio que acontece na ausência de gravidez após o período de preparação do corpo. 

Estes hormônios atuam na parede do útero, deixando-o mais vascularizado, o que, por sua vez, acelera a produção de tecido no local. Esse tecido serve como um tipo de “cama” para o embrião que pode chegar. Se a fecundação não ocorre, ou seja, se o espermatozóide não encontra o óvulo, essa cama se desfaz e sai do corpo na forma de menstruação.

Via de regra, todos os meses essa “cama” é refeita e é por isso que menstruamos todos os meses.

Quer saber mais sobre ciclo menstrual? 

Como funciona o orgasmo feminino?

O orgasmo é uma experiência bastante subjetiva a cada indivíduo, acompanhada de várias mudanças fisiológicas no corpo. Diferentemente do orgasmo masculino, geralmente associado com a liberação de espermatozóides, o orgasmo feminino não apresenta indicação de se associar com processos reprodutivos. 

Quando nossos corpos se excitam, percebe-se um aumento dos vasos sanguíneos em toda a região da vulva, o que causa um alargamento no tamanho do canal vaginal e um alongamento do clitóris. Diferentes estímulos causam diferentes sensações, mas em geral o orgasmo está associado ao aumento da temperatura corporal, contrações involuntárias de diferentes músculos, aumento do ritmo cardíaco e velocidade da respiração.  A sensação de prazer e satisfação é causada por uma série de liberações hormonais e regulações de diferentes áreas do cérebro. 

Quer saber mais sobre prazer feminino?

Como funcionam os hormônios da mulher?

Os principais hormônios femininos são a progesterona e o estrogênio. Eles são produzidos durante a vida reprodutiva da mulher. Além desses, existem também o FSH (Hormônio Folículo Estimulante) e o LH (Hormônio Luteinizante). O LH ajuda na liberação do óvulo para a fecundação e o FSH marca o início de um novo ciclo menstrual.

Eles também participam de outras funções. Por exemplo, o estrógeno participa também da ovulação, da concepção e da gestação. Ele ajuda também na manutenção dos ossos e na regulação dos níveis de colesterol na corrente sanguínea.

A progesterona também atua na gestação e prepara o corpo para a concepção e gravidez. Além disso,ajuda na regulação do ciclo menstrual.

Quais são as partes da vagina e para que elas servem?

A vagina é uma das partes internas do órgão sexual. Geralmente apresenta de  8 a 12 cm de comprimento e 2,5 cm de diâmetro. Ela conecta a vulva ao útero. Durante a relação sexual, a vagina, assim como o pênis, apresenta um aumento no fluxo sanguíneo que leva ao aumento da lubrificação vaginal, e pode dobrar de tamanho. Trata-se de uma área de grande elasticidade , capaz de se adaptar até para a passagem de um bebê durante o parto normal.

Como é uma vagina saudável?

Em uma vagina saudável, podemos encontrar uma grande quantidade de micro-organismos, que regulam a proteção do órgão. Ela possui um pH ácido que funciona como um sistema de defesa, evitando que agentes invasores alcancem outras partes mais profundas do órgão sexual feminino.

No que tange a aparência, a forma, a coloração dos lábios e o tamanhos dos mesmos pode variar muito de uma mulher para outra. Não existe um “modelo padrão” para a aparência de uma vulva saudável. Irritações, machucados, feridas, bolhas ou verrugas não são normais e devem ser avaliadas por um profissional.  A regra aqui é: se algo te incomoda, procure um médico! 

O que acontece quando a mulher entra na menopausa?

A palavra menopausa está relacionada à última menstruação da mulher. É um processo totalmente natural que ocorre entre os 45 e 55 anos, mas pode chegar antes. 

Há uma drástica redução de hormônios sexuais, especialmente o estrogênio. Com isso, ocorre uma grande transformação no corpo feminino. Redução na secreção de lubrificante, problemas para dormir, ansiedade, maiores chances de desenvolver osteoporose, hipertensão arterial ou até mesmo um AVC. Mas há diversas formas de cuidar melhor da saúde nesse período e evitar uma série de doenças que podem acontecer. Por isso, procure o seu ginecologista e peça orientação.

Como funciona o tesão/libido na mulher?

Como dissemos anteriormente, diversas áreas do cérebro trabalham em conjunto com os estímulos recebidos nas áreas erógenas para causar as sensações agradáveis de prazer sexual. Nesse contexto, durante práticas sexuais (seja com outras pessoas ou durante a masturbação), nosso corpo se comporta de forma a melhor se preparar para os estímulos: alargamento dos vasos sanguíneos, lubrificação, sensibilidade aguçada, etc. 

A sensação de que o corpo se “prepara” para o prazer pode estar associada ao que chamamos de tesão. Tanto na imaginação quanto no dia a dia, certos cenários e situações podem acionar certos desejos que, junto de sensações corporais, nos fazer ter a famosa vontade

Se conhecer melhor é importante tanto para a sua saúde física quanto para a saúde emocional. Tire um tempo na frente do espelho, se olhe e se toque. Não há nada de errado com isso e, quanto mais você se conhecer, mais segura se tornará e terá mais amor pelo seu corpo.

A gente também fala bastante sobre autocuidado e autoconhecimento lá no nosso Instagram!

Gostou? Compartilhe!

Gostou? Compartilhe!

Por: Redatora E aí, rolou?


Deixe seu comentário