Início » Ciclo menstrual » Menstruação atrasada? Entenda o que pode estar acontecendo

Ciclo menstrual

Menstruação atrasada? Entenda o que pode estar acontecendo

10 de agosto de 2021 | Por: Redatora E aí, rolou?

Poucos dias de atraso menstrual ocorrem até mesmo em mulheres com ciclo regular. Porém, se a menstruação não desce por 3 meses seguidos, é preciso ficar atenta aos problemas que podem estar por trás desse atraso.

Menstruação atrasada não significa, necessariamente, gravidez.

Mesmo que geralmente este seja o primeiro sinal para uma gestação, há outros motivos que podem fazer com que o fluxo não se mantenha dentro do dia esperado. 

De modo geral, poucos dias de atraso menstrual ocorrem até mesmo em mulheres com ciclo regular, sem que haja a necessidade de recorrer a um médico

No entanto, se a menstruação não descer por 3 meses seguidos (e a possibilidade de gravidez estiver excluída), é preciso ficar atenta ao que pode estar por trás desse atraso. 

Se identificou? Saiba que você não está sozinha nessa!

A irregularidade do ciclo menstrual é uma das maiores reclamações nos consultórios médicos. 

Por isso, continue a leitura e saiba o que fazer se essa dúvida um dia surgir em seu caminho. 

O que fazer em caso de menstruação atrasada ?

O primeiro passo é constatar se você teve relações sexuais nos últimos meses. 

Se sim, faça um teste rápido de gravidez (de farmácia). Se o resultado for negativo e mesmo assim tiver dúvida, faça um exame de sangue. 

Uma gestação só está completamente descartada após a realização de, pelo menos, dois testes no mesmo mês, com sete dias de intervalo. 

Se todos os testes deram negativo e você estiver com mais de 3 meses de atraso, recomenda-se consultar o médico.

É ele quem vai identificar o que está acontecendo com o seu corpo e receitar o melhor caminho para que o seu fluxo menstrual volte à normalidade. 

Principais causas do atraso menstrual

Há diversos fatores que podem contribuir com o atraso da menstruação, dentre eles, os mais comuns são: 

1. Adolescência

Após a menarca (primeira menstruação) o organismo pode levar até cinco anos para se adaptar, uma vez que o sistema reprodutor ainda está em fase de amadurecimento.

Portanto, atrasos nesse período são normais.

2. Estresse e ansiedade

O estresse pode influenciar a regulação hormonal, levando a alterações na menstruação. 

Inclusive, uma causa frequente para o agravamento desse quadro é a própria incerteza da existência (ou não) de uma gravidez, o que pode fazer com que essa situação seja intensificada. 

3. Uso de anticoncepcional

O uso de anticoncepcional é um exemplo de um fator externo que pode contribuir para o atraso menstrual. 

Normalmente o medicamento pode levar até 6 meses (de dois a cinco ciclos) para sair do organismo e assim deixar que os hormônios do próprio corpo retomem o controle.

Mas, tudo isso depende do organismo da mulher e da adaptação que terá sem a medicação. 

4. Distúrbios alimentares

Algumas dietas muito restritivas podem levar a oscilações hormonais que causam alterações na menstruação.

Por isso, comer pouco ou fazer exercício de forma excessiva pode ser outro fator que provoca o atraso do período menstrual.

Isso acontece porque a redução da ingestão de nutrientes leva o organismo a aproveitar a pequena quantidade de nutrientes ainda restante, o que pode refletir em atrasos ou mesmo na ausência da menstruação.

5. Ovários policísticos

O nome pode parecer confuso, mas o conceito é simples. 

A síndrome dos ovários policísticos é uma condição de desequilíbrio hormonal, que pode se apresentar como ciclos menstruais irregulares, chegando a ausência de sangramento algumas vezes, além de altos níveis hormonais, como a testosterona e pequenos cistos nos ovários.

Esse distúrbio também pode causar espinhas, excesso de pelos faciais e corporais e mudanças de humor

Nesses casos, um especialista deve ser procurado para avaliar o melhor tratamento e evitar o desenvolvimento de diabetes, doenças cardiovasculares, câncer do endométrio e até mesmo a infertilidade.

Diagnóstico e tratamento

Além desses, outros sintomas também podem ser responsáveis por esse atraso, por isso, fique atenta à sua saúde e conte com o acompanhamento de um ginecologista para uma melhor orientação neste processo. 

Ele poderá pedir exames, como o teste do progestogênio e a dosagem da prolactina, para identificar o motivo desse atraso e indicar o tratamento mais adequado.

Fontes: Ceferp, ISTO É, MedPrev, Melhor pra Mulher

Gostou? Compartilhe!

Gostou? Compartilhe!

Por: Redatora E aí, rolou?


Deixe seu comentário