Logo_05

Síndrome dos ovários policísticos: o que é, sintomas e tratamento

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Entenda o que é a síndrome dos ovários policísticos, também conhecida pela sigla SOP, como ela se manifesta, quais são os seus sintomas e como pode ser realizado o tratamento. Vem com a gente ficar por dentro deste assunto!

 

Entre os principais sinais que podem ajudar você a identificar essa doença, estão as alterações no ciclo menstrual, que podem ser desde um fluxo intenso, até a parar de menstruar ou possuir intervalos irregulares, dependendo de mulher para mulher. Outros sintomas perceptíveis são o aparecimento de acne e de pelos em excesso.

 

A causa exata da síndrome de ovários policísticos não é muito clara para a ciência, mas ela ocorre principalmente devido a alterações hormonais no organismo da mulher. Não estando atrelada somente ao sistema reprodutivo feminino. 

 

Veja em detalhes a definição da SOP e porque o tratamento multidisciplinar pode ser a melhor opção. 

 

O que é?

 

A síndrome de ovários policísticos é uma condição clínica que envolve o desequilíbrio hormonal em mulheres ou homens trans que estejam em idade reprodutiva.

 

As principais características dessa síndrome são a presença de hiperandrogenismo, ou seja, aumento de andrógenos no organismo feminino (grupo de hormônios, cujo mais comum é a testosterona) e a anovulação crônica, ou seja, a falta de ovulação. 

 

Ambas características vão influenciar os sintomas que a mulher pode apresentar com a síndrome de ovários policísticos, que vamos ver adiante. 

 

Quem pode ter a síndrome?

 

A síndrome dos ovários policísticos é uma das condições clínicas mais comuns, entre as disfunções endócrinas, que afetam mulheres em idade reprodutiva, ou seja, após a primeira menstruação. 

 

Estima-se que a sua prevalência varia de 6% a 16% dependendo da população estudada e do critério de diagnóstico empregado.

 

Qualquer mulher, ou pessoa que possua o sistema reprodutivo feminino ativo, pode desenvolver a síndrome de ovário policístico. 

 

Porém, observa-se que ela é mais comum entre mulheres na faixa etária de 30 a 40 anos e também em adolescentes. Mas pessoas que não se enquadram nessas idades, também podem desenvolver a SOP. 

 

Já que ela está ligada a alterações hormonais e também pode estar relacionada com a resistência à insulina, é muito importante observar seus sintomas e realizar consultas médicas regularmente para um diagnóstico correto.

 

encontre ginecologista

 

Quais são os sintomas da síndrome do ovário policístico?

 

Considerando que as principais características são a presença elevada de hormônios andrógenos e também a ausência de ovulação, os principais sintomas são:

 

  • Irregularidades menstruais, que podem ser desde não menstruar, atrasar a menstruação ou até ter um fluxo intenso, dependendo de pessoa para pessoa;
  • Aparecimento de muitos pelos, principalmente em regiões que são mais comuns nos homens, como a face;
  • Pele oleosa e acne;
  • Queda de cabelo;
  • Possível desenvolvimento de infertilidade;
  • Obesidade;
  • Surgimento de pequenos cistos nos ovários, que caracterizam a doença.

 

É claro que cada mulher pode apresentar sintomas diferentes, sendo importante notar, mesmo as pequenas alterações, e realizar o diagnóstico para o tratamento mais adequado.

 

Como tratar a síndrome do ovário policístico?

 

Como dissemos, por se tratar de uma doença metabólica, mas que interfere no sistema reprodutor feminino, o mais recomendado é um tratamento multidisciplinar, abordando desde as questões endócrinas, ginecologistas e envolvendo até mesmo a nutrologia, dependendo de cada caso.

 

Se os primeiros sintomas apresentados são alterações e irregularidade no ciclo menstrual, por exemplo, é comum que o primeiro especialista procurado seja o ginecologista

 

O ginecologista depois, se confirmada a síndrome dos ovários policísticos, pode realizar o encaminhamento para o endocrinologista e indicar, posteriormente, o nutrologista, se for o caso. 

 

O tratamento multidisciplinar costuma ser, então, o mais propício para a síndrome dos ovários policísticos.

 

Pílula anticoncepcional ajuda no controle dos sintomas?

 

E você sabia que a pílula anticoncepcional pode ser usada para aliviar os principais sintomas da SOP?

 

É comum, principalmente para as adolescentes diagnosticadas com síndrome de ovários policísticos, ser indicado no tratamento os anticoncepcionais orais combinados (com progesterona e estrogênio). 

 

Para o tratamento dos sintomas da SOP, a pílula anticoncepcional costuma ser uma das opções mais utilizadas pelos ginecologistas. Isso porque ela pode atuar amenizando tanto as manifestações androgênicas da doença (pelos em excesso, pele oleosa, acne, entre outros) como na irregularidade menstrual. 

 

A eficácia do tratamento com a pílula anticoncepcional pode ser avaliada, normalmente, após 3 meses do seu início. 

 

Lembramos que cada tratamento é individual, sendo importante que o médico avalie as várias combinações e dosagens de anticoncepcional disponíveis, escolhendo aquelas que ofereçam menos efeitos secundários para a paciente.

 

Além disso, também é preciso considerar os outros sintomas e características da síndrome dos ovários policísticos, tais como a resistência à insulina, obesidade e alterações hormonais

 

Por isso a importância do tratamento multidisciplinar e também da mudança de hábitos de vida. Adotar uma alimentação mais equilibrada e praticar exercícios físicos são fatores importantes.

 

Possui alterações no ciclo menstrual? Converse com um ginecologista

 

Como vimos, as alterações no ciclo menstrual podem ser sinais da síndrome dos ovários policísticos. Ao notar qualquer sintoma diferente no seu organismo ou algo que lhe incomode, como a presença excessiva de acne ou pelos, procure um ginecologista.

 

Além da SOP, alterações no fluxo menstrual, como irregularidade ou fluxo intenso, e cólicas muito fortes, por exemplo, podem ser sinais de endometriose. Ou seja, se você perceber algo de diferente em seu ciclo, é fundamental consultar com um gineco. 

 

A consulta regular com o especialista também ajuda a identificar qualquer possível problema logo no início. Então agende sua consulta com um ginecologista próximo da sua casa.

 

consultar com ginecologista

 

Logo_Branco
Copyright 2021. Todos direitos reservados.                   Politica de Privacidade

Copyright 2021. Todos direitos reservados.

 

Politica de Privacidade

CONVERSA ONLINE
E GRATUITA COM GINECO

Passo a passo para ganhar sua consulta grátis:

1. Clique no botão abaixo para ser direcionada ao site da nossa parceira Amorsaude;
2. Escolha um(a) ginecologista no melhor horário para você;
3. Após clicar no horário, cadastre-se na Amorsaude;
4. Digite o voucher EAIROLOU e confirme o agendamento;

5. Pronto! É só aguardar as instruções de acesso por email e SMS para tirar todas as suas dúvidas com seu gineco!