Logo_05

Educação sexual: por que precisamos falar sobre isso?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A educação sexual é uma forma de instruir crianças e adolescentes sobre corpo, sexualidade e consentimento, para prevenir casos de violência sexual. Com diferentes abordagens, contribui para que os jovens reconheçam o que são toques invasivos em locais inapropriados e como identificar casos de assédio sexual. 

 

Além disso, a educação sexual também ajuda os adolescentes, que já tenham começado sua vida sexual ou que pretendam iniciá-la, a saberem como se prevenir de infecções sexualmente transmissíveis e de uma gravidez indesejada.

 

Vamos entender melhor a definição de educação sexual, como podem ser realizadas diferentes abordagens de acordo com cada faixa etária e a sua importância para diminuir os casos de assédio sexual no Brasil. Vem com a gente! 

 

O que é educação sexual?

 

A educação em sexualidade ou educação sexual envolve uma série de informações sobre saúde, corpo, identidade de gênero, autoproteção, consentimento e os tipos de toques ou locais que os outros podem ou não podem encostar no corpo de crianças e adolescentes.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a educação em sexualidade, ainda, deve abranger conhecimentos e valores que capacitem os jovens a realizarem escolhas conscientes e responsáveis a respeito de sua vida sexual.

 

Assédio sexual no Brasil

 

A educação sexual possibilita que crianças e adolescentes entendam e denunciem casos de abuso sexual, além de poder ajudar a prevenir esses casos. Principalmente ao considerarmos a realidade no Brasil, com dados alarmantes a respeito disso.

 

Entre 2017 e 2022, o Brasil registrou mais de 179 mil casos de estupro ou estupro de vulnerável, com vítimas de até 18 anos. Uma média de cerca de 45 mil casos por ano, segundo a Unicef* (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

 

Para as meninas, essa realidade é ainda mais complicada. Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em 2021, quase 75% dos casos de violência sexual registrados contra menores de idade foram contra meninas.

 

Muitas vezes o assediador faz parte do dia a dia das crianças e adolescentes, por isso a importância das escolas também serem um ambiente acolhedor e confiável para esses jovens poderem contar sobre os abusos que estão sofrendo. 

 

Além disso, em muitas situações, somente ao ter conhecimento sobre educação sexual, esses jovens percebem que sofrem algum tipo de assédio ou estão sendo abusados, e que não têm culpa sobre isso, podendo denunciar o caso para alguém de confiança. 

 

Por que falar sobre educação sexual?

 

A educação sexual é um processo educativo abrangente, e deve levar em conta as idades das crianças e adolescentes para o discurso ser adequado com o nível de entendimento de cada faixa etária. 

 

Contudo, é fundamental que seja considerada a necessidade de falarmos sobre corpo e sexualidade sem tabu com as crianças e adolescentes. Isso porque a falta de informação ou a vergonha em tocar nesse tipo de assunto, pode fazer com que casos de abuso nunca sejam identificados ou denunciados por esses jovens.

Adolescentes no centro da escolha sobre o futuro

 

Além de toda importância da educação sexual para ajudar crianças e adolescentes a identificarem casos de assédio, a informação sobre sexualidade, sexo e contracepção também é fundamental para que os jovens estejam no centro de escolha sobre seu futuro, saibam como evitar uma gravidez não planejada e como se proteger de ISTs.

 

O Brasil, por exemplo, apresenta um dos índices mais altos de gravidez na adolescência, comparado a outros países. Para se ter uma ideia, a cada 1.000 meninas de 10 a 14 anos em nosso país, 53 engravidam. Enquanto em outros países, essa média é de 41 adolescentes, segundo a ONU.

 

Por isso que consultar com um ginecologista e utilizar um método contraceptivo confiável e acessível, como a pílula anticoncepcional, assim como a camisinha em todas relações sexuais, são atitudes tão importantes.

 

Conclusão

 

Como vimos, a educação sexual é uma forma de prevenir e enfrentar o abuso sexual contra crianças e adolescentes. 

 

É possível ensinar, com diferentes abordagens para cada faixa etária, conceitos importantes sobre corpo, consentimento e a diferença entre toques em locais apropriados e toques invasivos em locais inapropriados.

 

Quer entender melhor o que é e como identificar os diferentes tipos de assédio? Confira este conteúdo aqui. Te espero lá!

 

*Referências

CNN Brasil; Childhood Brasil;

Logo_Branco
Copyright 2021. Todos direitos reservados.                   Politica de Privacidade

Copyright 2021. Todos direitos reservados.

 

Politica de Privacidade

CONVERSA ONLINE
E GRATUITA COM GINECO

Passo a passo para ganhar sua consulta grátis:

1. Clique no botão abaixo para ser direcionada ao site da nossa parceira Amorsaude;
2. Escolha um(a) ginecologista no melhor horário para você;
3. Após clicar no horário, cadastre-se na Amorsaude;
4. Digite o voucher EAIROLOU e confirme o agendamento;

5. Pronto! É só aguardar as instruções de acesso por email e SMS para tirar todas as suas dúvidas com seu gineco!